“LER E DIFUNDIR”

Preservar e divulgar a memória das lutas operárias, associativas, da Oposição Democrática, e dum modo geral das muitas e variadas formas de resistência e luta antifascista no concelho de Loures (atuais concelhos de Loures e Odivelas) que, na perspetiva mais geral da luta por um mundo melhor, abriram caminho para o 25 de Abril é, não só, prestar um justo tributo a quem resistiu e lutou mas, sobretudo, uma forma de manter viva a nossa memória coletiva, de contribuir para que os valores da solidariedade e luta não se percam, e para que o fascismo jamais aqui possa regressar, ainda que sob uma forma diferente.

No então concelho de Loures foram mais de quatrocentos os homens e mulheres, na maioria jovens e nalguns casos ainda menores de idade, que passaram pelas cadeias da polícia política -  Aljube, Porto, Angra, Caxias, Peniche e Tarrafal -, muitos os deportados para locais longínquos como Timor, e muitos milhares os que não se calaram, não se intimidaram, não se dobraram à repressão fascista.

De todos nos devemos orgulhar, recordando, a finalizar, a presença de homens do concelho de Loures nas operações militares que, na inesquecível madrugada de Abril, derrubaram o regime fascista e deram início às profundas transformações políticas, sociais e económicas que mudaram o país.

Ao evocar aqueles tempos, através de alguns rostos da última geração que, no nosso concelho, viveu e lutou contra o a ditadura fascista, a exposição de Hermano Noronha, para além do seu valor artístico (da arte ligada à vida), é também um testemunho de que a História não se resume aos que mais se destacaram e, justamente, merecem o nosso tributo, mas que nela cabem, igualmente, trabalhadores e povo miúdo, como os que, naturais ou residentes dos agora concelhos de Loures e Odivelas, resistiram e lutaram pela Liberdade e Democracia, por um mundo melhor, mais justo, solidário e menos desigual.

 

Iniciativa Direito à Memória: A Resistência Antifascista no concelho de Loures

Março de 2021

O meu sentido agradecimento a todos os que participaram:

Adelino Pereira da Silva - Adventino Amaro - Afonso Rodrigues - Antónia Beco da Silva - António Dinis Cabaço (família) - António Ricardo - Armando Tavares - Aurélio Amaro - Diamantino Torres - Eduardo Baptista - Francisco Vitorino - Henriqueta Tavares - José Eduardo Brissos - José Maria da Silva - Leopoldo José Cuíssa Santinhos - Luís Figueiredo - Manuel Candeias - Maria Gomes Penha ( Dolores Parreira).

O meu agradecimento ao patrocínio da Câmara Municipal de Loures, ao apoio do Museu de Cerâmica de Sacavém, bem como do Museu Nacional da Resistência e Liberdade, da Iniciativa Direito à Memória: A Resistência Antifascista no Concelho de Loures, do Cemitério Alto de São João e da TAP Air Portugal.